Header Ads

ad728

Palhaço Bozo sofreu assedio sexual de diretor da tv Globo

Um dos personagens mais icônicos da televisão é o palhaço Bozo. No Brasil, o personagem ganhou muitos intérpretes. Nenhum deles tão polêmico quanto Arlindo Barreto, de 62 anos. Em entrevista à jornalista Janaína Nunes, ele confirma que sua vida foi destruída pela cocaína, mas que ele nunca precisou se drogar para fazer os programas infantis do SBT. Arlindo hoje é evangélico, mas relembra a dureza de vários momentos de seu passado. 
O ex-Bozo já largou a televisão há 30 anos. Atualmente, roda o país como pastor mambembe e estará nos cinemas em 2016, em uma cinebiografia. O papel dele é feito pelo global Vladimir Britcha. O pastor voltará a interpretar no filme, fazendo seu ex-patrão, o empresário Silvio Santos.
O eterno palhaço da televisão conta que só decidiu incorporar o personagem após ser assediado sexualmente por um diretor da Globo. Ele não cita o nome do profissional, mas informa que ele morreu. Arlindo disse que o acusou na época de usar seu alto cargo dentro do canal para ir para a cama com os atores. "Eu não sou gay", disse ele. Em troca, o diretor prometeu que Arlindo nunca entraria no canal da família Marinho. Dito e feito. Com raiva, o ator prometeu que um dia ganharia da audiência da Globo, o que acabou acontecendo cinco anos depois, quando Bozo virou um verdadeiro fenômeno no Ibope. 
Apesar de não atuar há três décadas, Barreto garante que seu sangue artístico continua firme e forte, dizendo que sua pregação é teatral e que "continua completamente louco". Filho de uma das grandes atrizes da década de 70, Márcia Windsor, Arlindo também ia muito bem na carreira até receber a famosa proposta para o "teste do sofá".
Perguntado sobre quando aconteceu a tal proposta, o ex-Bozo diz  que não se lembra. "Fumava muita maconha, mas muita maconha mesmo. Naquela época, meu cérebro deixou de funcionar para datas", enfatizou. Antes de viver o palhaço no SBT, o ator ainda participou das famosas "pornochanchadas". "Cansei de correr sem roupas pelas ruas de São Paulo", finalizou.

Nenhum comentário